Afonso Santoalha

Afonso Santoalha

Terça, 12 Outubro 2021 17:25

Como

Como,

Como é que tanto existe,

De "O Livro Vermelho" a Mecânica de Fluidos

De música a simples sentimentos

De ver-me ao espelho a campos floridos

De metafísica a instantes momentos

Como é que tanto é

Porque é que tanto há

E eu nunca o saberei, pronto...

Nem saberei porque não o sei, ponto.

Mundo! Existência! Ah, quem me dera

Viver para sempre e tudo soubera

Quinta, 28 Janeiro 2021 12:44

Poeta

Exacerbo o meu coração com droga

Numa noite calma, sozinha diria

O efeito do álcool está à vista

Porque me acho artista na poesia

Romântico? Cético? Racional?

Tento definir o meu ser ao beber

Mas sou apenas patético animal

Que quer sofrer no lugar de viver

Vive homem, larga a garrafa

Se fosses ao mundo eras são

Mas parece que escolhes este futuro

De constante auto depreciação

Cala-te, cessa os ensinamentos

Pensas que já não tive tais pensamentos?

Deixa-me estar no meu lavrar de alma

Porque estes campos não se fazem sós

Se não fossemos nós

Onde estavam os atuais famosos escritos

Venerados pelos proclamados eruditos

Sábado, 23 Janeiro 2021 12:22

Simples

O que eu quero é simples

Quero aprender, quero dançar

Quero escrever, quero desenhar

Quero tudo ver e imaginar

Quero ser ser sem nada a apontar

 

O que eu quero é simples

Quero ser normal, quero ser imperfeito

Quero ser racional, quero ser inteiro

Quero ser especial para quem respeito

Quero ser o ideal homem rotineiro

 

O que eu quero é simples

Quero acordar de manhã

Quero amar a minha companhia

Quero recordar o amanhã

Quero ter uma epifania

 

O que eu quero é simples

Simples é porque numa só palavra o sucinto

O que eu quero é simples

Quero simplesmente ser Perfeito

Sexta, 22 Janeiro 2021 21:13

Espectador

Vejo me por fora

Como espectador herege dirijo

Ora são, ora impotente emulação

Agora, por fora novamente me vejo

Desejo que um dia me sinta inteiro

Para poder ser finalmente o verdadeiro

Eu