Aplicado o filtro por Data: Fevereiro 2021

Terça, 30 Março 2021 15:17

Metamorfose Urbana

Era mata, mato, rios e riachos

Oceano, mar, praias e lagos,

Fauna e flora em abundância,

Veio um homem, dois, três, quatro...

Para satisfazer sua ganância,

Começou a explorar, arar, plantar,

Construir, modificar.

A mata diminuiu,

Os rios e riachos poluiu e secou,

O oceano, praias e lagos se transformou,

Surgiu uma cabana, de repente uma casa,

Duas, três...

Formou-se uma rua, vila, distrito, cidade,

As casas deram origem aos casarões,

Mudanças, modernidade,

Finalmente vem os prédios para acolher um mar de gente,

O comércio transborda, a indústria reproduz,

E a natureza cada vez mais em segundo plano,

Se reduz.

É o avanço do progresso,

Com o nome de urbanização,

Que trouxe consigo o regresso

E também a destruição travestida de ambição.

Nesta metamorfose urbana,

O homem é o personagem principal,

Que tanto pode construir como destruir,

De forma descomunal.

 

Publicado na categoria: Poesia
Terça, 30 Março 2021 12:06

Oficina de Iluminação

Há 67 anos frequento essa Oficina de Iluminação que é minha mente.

Sei que muitos dos que me acompanham não compartilham de ideias dogmáticas.

Nem eu! Mas as vezes me permito divagar em ideias porquê acredito não só no que vejo, mas também no que sinto.

Assim é que nesse longo período da minha vida nessa Oficina de Iluminação, e por pelo menos um dia na semana, participo da repetição de ritual de iluminação, que para mim, soa como o badalo do sino que me chama para a liturgia da missa.

Sei que a intenção da filosofia de iluminação é apontar a cada instante a necessidade de me reconstruir em condutas; como deve ser a rotina de um livre pensador.

O ritual me mostra, pela repetição, (que também é dogmática) que toda atividade em vida, há falta de atenção, observação, e prática, pode atrapalhar a compreensão e a hora da resposta nos momentos da palavra justa e perfeita, em vida, por consequência, a filosofia ritualística de iluminação me convence, que minhas falhas de atenção, influenciam meu grau evolutivo.

Assim também é quando mudo de ambiente; de perspectiva; de lado; mais centrado ou lá na frente de tudo; ou ainda, num Grupo de Whatsapp; se eu não perceber a mudança e como me sinto quando estou em outro ambiente (que de tão igual soa como se o novo igual fosse diferente), eu, como pensador, e como pessoa, nada seria...

Sem respeitar os graus de evolução e as individualidades, não haverá avanço em liberdade, igualdade e fraternidade...

É necessário compreender a pureza de uma Oficina de Iluminação e da vida para conviver bem no espaço e no tempo.

Praticar ao passo a passo, sem compreender realmente o sentido dos passos, é como não enxergar os flashes de luzes que existem neste caminhar; é como observar, em um dia qualquer, a oficina vazia...

Porem, como pessoa e como um ser buscando a evolução, agora não, a egrégora das luzes me é reveladora...

Passo a compreender desde os passos perdidos, que ao adentrar ritualisticamente meus livres pensamentos, devo reverenciar hierarquicamente todas as peças e pensamentos de minha Oficina de Iluminação, já que estou diante da abóboda de um universo em movimento.

E como se eu também fosse uma pequena partícula, (uma Estrela brilhante), posso então enxergar o brilho flamejante em cada um dos que me acompanham.

Penso que ainda e só por um milésimo de segundo; se persistimos nos graus de evolução; a perseverança de desígnios levar-nos-á a enxergar o espargir, matizes e cores, advindas da intuição e da sabedoria da alma de cada um de nós...

Parece que ainda não podemos compreender a beleza e o poder da a filosofia ritualística de iluminação. Doutrinários e ou Evolucionistas...

Parece que enquanto andarmos distraídos sobre o significado de uma Oficina de Iluminação - “como Alma”; teremos ainda um longo caminho para a prática de uma oficina justa e perfeita...


Lineu Mattos

28/03/2021

Publicado na categoria: Coluna Filosófica
Terça, 30 Março 2021 10:43

A beleza do amanhecer

A cada amanhecer as esperanças se renovam,

A natureza ressurge em todo seu esplendor,

Emoldurada por uma diversidade de cores em vários tons,

Complementada por vários sons.

É a renovação da vida.

Um novo dia está surgindo e os sonhos podem ser realizados.

É preciso acreditar, ter fé e perseverar.

Não podemos desanimar,

Erguer a cabeça, ter atitude e lutar.

Dar as mãos e em união orar,

Pela cura, pelas perdas,

Por um novo tempo que irá começar,

Pela crença em dias melhores,

Nas novas relações, novas rotinas marcadas por mudanças.

É preciso acreditar no progresso da ciência,

Na capacidade e competência,

Na concretização de sua prática com eficiência.

Que a cada amanhecer o progresso e o desenvolvimento,

Seja um fato e um ato extensivo a todos,

Sem oportunismo nem leviandades.

Que a verdade supere as rivalidades entre as nações,

E que as mudanças esperadas venham carregadas,

De inovações com foco na equidade e igualdade.

Que o futuro chegue recheado de bons frutos.

 

Publicado na categoria: Poesia
Terça, 30 Março 2021 10:26

A força do poder

Poder que emana da força do mais forte sobre os mais fracos,

Da coragem de enfrentar o desconhecido,

Da ambição motivada pela cobiça,

Do oportunismo movido pela corrupção.

Poder que manipula provocando rivalidades e intrigas,

Poder que acarreta uma exploração predatória e desenfreada,

Poder instigante que alimenta o egoísmo,

Atropelando tudo e todos.

Na busca pelo poder o homem torna-se irracional,

Cego pelo lucro não importando os meios de como obtê-lo,

Todas a estratégias são usadas para se adquirir o poder,

Os meios virtuais apresentam-se como o melhor caminho,

Sem pensar nas consequências tudo vale a pena,

Para se ter poder.

Um poder que fascina,

Que supera limites,

Alimenta o ego e autoestima,

Enfeitiça achando-se indestrutível.

A manutenção do poder leva a eliminação da concorrência,

Muitas vezes de forma extrema, nada convencional.

 

Publicado na categoria: Poesia

Meu Pai dizia: "Você sabia que o Sabiá, sabia assobiar..."

Eu não sabia!

Não tinha ideia do que ele dizia, mas realmente o Sabiá, sabia assobiar!

Seja no ar, seja em terra, é preciso saber assobiar...

É como andar de bicicleta, não dá pra andar na garupa, tem que pedalar!

A vida é robusta, gorda, pesada, é preciso muito esforço físico para que ela fique no peso certo para poder  carregar sem reclamar...

Além disso é depois disso que vem o banho de sol...

Oh! como é bom um banho de sol!

Daqueles que esquenta a alma, que cozinha o cérebro, que espreme a água do corpo até que haja a necessidade de tomar água de novo, daí começa tudo de novo e você se lembra que é preciso saber assobiar...

É uma ressaca que não acontece só às segundas-feiras e que não tem conversa tem que enfrentar até chegar à próxima sexta, quando então passa e a gente lembra-se do Sabiá e começa assobiar só por assobiar..., e descansar!

Até que inexoravelmente chega de novo a segunda-feira e a gente têm que voltar a pedalar...

Tenham uma boa Semana!

Você sabia que o Sabiá sabia assobiar?

Publicado na categoria: Coluna do Lineu
Segunda, 29 Março 2021 16:28

A parcialidade da Justiça

Quem é esta senhora de olhos vendados,

Que não vê a quem vai punir,

Tentando manter o equilíbrio da balança,

Sem querer reprimir?

Suas decisões são imparciais?

Não vamos nos iludir,

Ao longo da história,

Não precisa puxar pela memória,

Para vê sua rival surgir.

Cega pela ambição,

Surda pela omissão,

Os malefícios vão persistir.

Senhora de nome decente,

Por que continuas ausente,

Diante de um povo tão carente?

Não te deixes fascinar pela propina,

Nem te acomodes diante das facilidades,

Segues tua companheira Ética,

E comandas a balança da igualdade.

Oh senhora de olhos vendados,

Escutas o clamor da multidão,

Acolhes os excluídos,

Erradicas a corrupção.

Não te deixes iludir,

Pelo fascínio da riqueza,

Prestas atenção nas necessidades da pobreza,

Mantendo tua balança em equilíbrio,

Valorizando tua grandeza.

Nobre senhora de olhos vendados,

Batizada de Justiça,

Escutas os gritos da maioria,

Sem privilégios ou avareza,

Faz jus ao teu nome,

Honras tua nobreza.

Publicado na categoria: Poesia

Foi dada a largada....

Vote em seu Autor preferido para o Mês de abril!

 

Autor do Mês - Abril
Total de Votos:
Primeiro Voto:
Último Voto:

 

Saiba mais, aqui na Página permanente de consagrações.

Publicado na categoria: Noticias

 

Atenção, atenção nasceu uma Orquídea!

 

Quando o mestre Drummond lembra soberbamente:

“Entre as desesperanças da hora e à falta de melhores notícias, venho informar-lhes que nasceu uma orquídea", encorajo-me a voltar à Vida. Encorajo-me a acreditar na poesia, na arte e celebrar o simples e abençoado ato de respirar. Consolar os tristes. Entender a dor dos que estão sofrendo, e são muitos. Indignar-me com a tragédia que nos assola, mas já há incontáveis vozes gritando e rosnando isso. Precisamos de outras vozes. Vozes de coragem para continuar a crer que existem outras possibilidades. Não esperar um novo normal. Seria pura ilusão. O novo está posto. É com ele que precisamos conviver para continuar vendo cores, música e orquídeas nascendo. Adentramos um espaço-tempo em que nos furtam a possibilidade de viver a alegria. E nos entregamos a isso.  É preciso lembrar que a alegria faz parte da cura. Precisamos de esforço e alegria para auxiliar na cura de tudo o que hoje povoa o inconsciente coletivo: o medo, a angústia e principalmente a raiva desconcertante. Há vozes que lamentam. Há vozes que raivosamente intoxicam o mundo com inúteis discursos de ódio. Entretanto, há vozes que rezam, que cantam, que plantam, que cuidam e que partejam palavras, como os poetas.

Entendi que é preciso virar a chave. Crer na cura. Crer na Ciência e em tudo quanto o homem é capaz de produzir para o bem. Agradecer a quem dedica sua vida à construção da cura. Perdoar a quem ainda não entendeu esta caminhada humana. Há mortes precoces. Há mortes que poderiam ser evitadas. Milhares. Mas com certeza outras tantas ainda serão evitadas pelo esforço da ciência e da elevação da consciência humana.

Acreditando que tudo o que pensamos constitui energia transmutada ao Universo, faço este convite: Vamos despoluir esta bolha de oxigênio da qual todos, sem exceção, fazemos parte?

Fácil não é. Quem disse?

O ato de trocar um Não por um Sim e observar o milagre de uma orquídea nascendo poderá ser o nosso renascimento para o NOVO que já está posto. É só acreditar.

 

Obs:

1) O verso de Drummond foi uma homenagem a Rubem Braga.

2) Estou em rigoroso isolamento, recuperando-me da infecção provocada pelo COVID. Ainda com sequelas, felizmente leves. Atenção, registro: segui todos os protocolos sanitários recomendados e nunca aglomerei, mas com certeza em algum momento descuidei.

3) Orquídea cultivada e fotografada pela amiga Rosana 

Por Maria Luiza Kuhn 23/03/2021

 

Publicado na categoria: Coluna da Maria Luiza
Quarta, 24 Março 2021 15:48

Sopro de vida

Sopro de vida
 
Em dias sombrios 
Perceba a maior oportunidade :
Você está vivo !
 
Vivo, na busca por justiça 
Vivo, para ser a diferença positiva
Vivo, para admirar-se
Pois, apesar de tudo, O sol ainda está lá. 
 
Finda-se todo o medo
As preocupações dão lugar a um certo otimismo 
Um sopro de  esperança paira sobre as nossas cabeças. 
 
Tudo o que provoca lágrimas 
Desaparece em um passe de mágica 
Toda dor vai se esvaindo...
 
Neste momento, a vida pede  passagem 
E não será impedida !
Não será reprimida !
 
A vida pulsará em pleno vigor
Oxigenando de esperanças, cada ser vivo
Porque a vida vale a pena ser vivida 
Apesar de tudo !
 
Carlos de Campos
Publicado na categoria: Poesia
Terça, 23 Março 2021 03:05

AUSÊNCIAS

 
 
________ainda era ontem
quando amei você
e o calor dos seus lábios
ainda está na minha pele
feito uma tatuagem que insiste
em suas lembranças...
ah, não sei se os seus lábios
ainda desejam os meus...
________são tantas ausências
e tantos desejos meus...
não sei...
 
.
.
imagem: Abraço
nanquim sobre papel
Luciah Lopez
Publicado na categoria: Poesia
Página 1 de 4