Quinta, 23 Dezembro 2021 10:47

SENTIDO ALHEIO

Escrito por
Vote neste texto
(4 votos)
SENTIDO ALHEIO Foto: Yuriy Golub / Shutterstock.com

SENTIDO ALHEIO

No rubor da face,

 o desconcerto das atitudes

 que são transparentes

como o olhar perdido no horizonte.

Nada é transcrito num caderno de memorias,

 fica apenas na imaginação.

 Não será lembrança de um

 passado alheio.

A vergonha do nu é exposta

na alma errante,

 que cambaleia pelas alamedas

 de um coração fértil de emoções

contraditórias.

A noite acalanta o corpo,

a solidão é companheira.

Tudo se transforma,

tudo é o nada

que colhemos

no momento único

de um encontro,

onde o eu é o nos.

MIF 17/12/2021

Lido 224 vezes Última modificação em Quinta, 23 Dezembro 2021 12:05
Mais nessa categoria: « Amores Virtuais Inquietude »

1 comentário

  • Link do comentário Penha Ribeiro Quinta, 23 Dezembro 2021 15:57 públicado por Penha Ribeiro

    Parabéns, vc está no caminho certo.

Entre na Casa da Poesia para comentar