Sábado, 03 Setembro 2016 11:04

Saudade não tem Plural

Escrito por
Vote neste texto
(0 votos)

 

Saudade...

 

Saudade não tem plural.

Eu descobri isso e dou viva,

Porque ela é algo tão grande

Que se fosse mais de uma,

Ninguém resistiria.

É uma coisinha que aperta,

Emudece, mata bem mortinho

Tudo o que sobrou da gente.

E todo mundo sente saudade.

Saudade da infância, dos brinquedos

Daquela casa bonita e atrativa

Onde a gente passava os Natais,

Dos passeios aos domingos,

Dos nossos avós,

Saudade daquela menina linda

Que não deixava a gente dormir...

De tanta saudade.

Eu tenho saudade...

Lembro-me do meu mundo

De tempos atrás.

Como era bom correr

Livre e despreocupado,

Esperar Papai Noel e

Cuspir de boca cheia na cabeça

Dos que passavam

Lá em baixo na rua.

É um devaneio.

A gente vai indo, indo, pensando,

Recordações e mais recordações

E aí bate aquela vontade enorme

De voltar no tempo

E começar tudo de novo.

Nesse retrocesso,

a gente esquece a realidade

e de repente um choque...

Estamos calados

Com a boca seca e

O peito apertado.

Foi ela...

...A sangrenta saudade

Está dilacerando o peito

E balançando a nossa cabeça.

E por fim, esboçamos um sorriso

No canto dos lábios e

A vida continua.

Daqui a pouco, ou

sei lá quanto tempo,

estarão sentindo saudade

de mim e de você.

Aí sim, a vida continuará

Guiada pela

Saudade plural.

 

Renato Baptista

 

Saudade é um substantivo abstrato, portanto não pode ser numerável...

Lido 100 vezes Última modificação em Sábado, 31 Outubro 2020 14:57
Mais nessa categoria: « O Laço... *Florescer* »

Deixe um comentário