Domingo, 21 Fevereiro 2021 11:34

*O presente mais doce*

Escrito por Anggel
Vote neste texto
(0 votos)

 

Devo falar do que não sei?

Devo despir-me dos trejeitos

- e meios,

- que a sorte me retira?

 

Ando lendo meu olhar com mais profundidade...

Ando me agarrando nas paredes frias,

- por segundos a fio...

 

Esvazio minhas gavetas,

Tão mal arrumadas,

Que contém fiapos a perder de vista...

 

O enredo tem sido escasso,

Costurado com agulhas quebradas,

Bordado com fios envelhecidos...

 

Invisível aos olhos vivem todos os pormenores,

- tão menores que a lente não capta a fotografia,

- não reproduzem o piscar lento de quem posa.

 

Insignificâncias habitam nas mãos contraídas.

 

As mesmas mãos que separam o papel da caneta.

- hão de juntar-se mais cedo ou mais tarde....

 

Sem recompensa e reconhecimento,

Vasculho antigas imagens,

- dentro d’um universo particular.

 

Gostaria que todas elas ainda fossem belas.

 

Estão lá, guardadas,

Preservando uma vida inteira...

 

Não quero que retornem...

 

O tempo,

- Acabou amarelando as suas cores...

 

Angela Lazzari

Lido 96 vezes

Deixe um comentário