Domingo, 21 Fevereiro 2021 10:55

*Pedaços*

Escrito por Anggel
Vote neste texto
(0 votos)

 

Meus pedaços,

Aqueles que restam e que voam entre as minhas pupilas,

Marcam essa minha incerteza,

De saber se os pássaros regressarão,

Ou não.

 

Enquanto o tempo,

Dentro dessa incógnita,

Puder acordar, relembrando nomes e alguns rostos,

A visão apela por virar a página,

Ler outras composições.

 

Incansavelmente vivo dentro do poema,

Singro por lugares desconhecidos,

Rabiscando aqui e acolá palavras em preto, no branco.

 

No meu vocabulário vulgar e esdrúxulo,

Componho horizontes silenciosos,

Embrulho as ruínas em papel queimado,

E teço minhas ilusões pelo lado avesso do corpo.

 

O destino tem por dádiva,

Revoltar as marés,

Restaurar a rota dos navegantes,

E no porto,

Ancorar a existência,

Que se desnuda.

 

Tudo é esquecimento.

Tudo são faces contraditórias no espelho,

E tatuagens vermelhas,

Marcadas a sangue.

 

Dia sim, dia não,

Conjugar verbos tornou-se aleatório.

 

Plural ou singular,

Pretérito, presente, futuro,

São apenas formas inconsequentes de uma verve estagnada.

 

Se quiseres entender,

Erga teu olhar,

E decifra o que se revela,

Pelas entrelinhas...

Angela Lazzari

Lido 90 vezes

Deixe um comentário