Vilma Verza

Vilma Verza

Sábado, 08 Janeiro 2022 03:10

Insanidade

 

 

 

Lágrimas que pesam
como chuva fina
choram uma vida inteira
que tem o tempo de uma noite...

E lá se vão as bolinhas brancas,
em caixas de tarja preta,
(a solução predileta)
e na melhor das hipóteses
dizem "ela é poeta".

Cara amassada, cabelos embaraçados,
vincos dos olhos ao pescoço,
que nasceram com o choro
e tiveram a intensidade do mar...

Sufocada com palavras que não cabem em poesia,
pensar fica difícil quando só vejo feridas,
e esse mundo que canta tantos amores eternos,
se especializa unicamente em despedidas...



 

 

 

Sábado, 08 Janeiro 2022 02:48

Enquanto Durmo...

 

 

 

Enquanto durmo...


Entre meu coração e o mundo
há um abismo tão quieto e tão profundo
de onde ecoa o desejo mais aflito
quase sepultado
mas que sobe até a lua
e dentro de mim quase some
enquanto flutua...

Apesar da contradição
sob as nuvens e acima do chão
chovem  as noites mal dormidas
cheias de saudade, devolvendo-me a vontade
daquele mesmo desejo
que de olhos fechados ainda sinto,
ainda tenho, ainda vejo...

( enquanto durmo).


 

 

 

Segunda, 16 Agosto 2021 22:28

Supersticiosa

 

 

 

Supersticiosa

Não gosto de números ímpares.

Mesmo sendo, na numerologia, um cinco.

Me dão a sensação de metade, de incompleto,

de mal terminado.

Pares me dão a impressão de harmonia, 

de equilíbrio, de ciclos fechados.

Assim como também não gosto de gavetas semi  abertas, 

de ponta de pés descobertas, de gente que se acha esperta

e de coisas erradas que fingem serem certas.

 

 

 

 

Quinta, 10 Junho 2021 20:34

Senhora

 

 

 

 

 

Acuada na solidão das recusas, espiava as sombras hesitantes
de poemas inacabados no interior de alguma gaveta, afastando-se
lentamente da cidade e seus ruídos.

Sozinha, recitava as tais poesias diante do espelho:
(Amor, ah, meu amor...
Quem dera senti-lo,
uma única vez ao menos
sem provar da tua dor...)

Laboriosamente preparava todo o ritual sonhado num leito de plumas,
sob macios lençóis dourados.
Prestando atenção em pequenos detalhes alarmantes, como os cabelos molhados escorrendo água pelo chão...
Aprendia em sua pele o caminho da terra desconhecida, como um explorador que pisa pela primeira vez o deserto perdido,
em séculos de solidão.

Deveria ter esperado que ele respondesse às perguntas que fizera,
deveria ter exigido a quebra do silêncio dramático, deveria ter mentido um pouco, brincado, trapaceado, entrado no jogo.
Deveria ter ido, ter voltado...poderia.
Justamente, podia.

Agora era tarde.
Há muito havia perdido a hora.
Deslizou para fora da cama, com olhos cheios de estrelas,
completamente "senhora".

 

 

 

 

 

Quinta, 10 Junho 2021 07:51

Opostos

 

 És dia
sou noite
És sol
sou lua
És carinho
sou açoite.
És calçada
sou rua
És semáforo
sou multa...

Nosso desentendimento é constante,
desde agora, desde sempre, desde antes...
Digo água, dizes terra,
sou início, és quem encerra.

És a fala, eu sorriso,
és a vidraça, eu o friso...
Sou o receptor, és sinal
sou ano novo, és natal.

És ardência
sou alcalina
És Brasil
sou China
És doce cantiga
sou briga.
És fada
sou bruxa
e a cada rajada
tua fala estrebucha.

E não adianta revogar, sou beira, és eira,
és perdão, sou flagelo
és vítima, sou réu
se voas, nivelo.

se tentar aquecer-te em minha fogueira
congelo...

 

 

 

 

Quarta, 09 Junho 2021 15:13

Amar

 

 

 

Então, assim sem assunto

eu lhe pergunto:

Amar cura

Ou Amar gura?

 

 

 

Domingo, 06 Junho 2021 22:58

Rascunhos Além

 

 

 

Os papéis mostram que o tempo teve atitude,
e entre as linhas azuladas
o amarelo reinou.
A beleza da fonte que jorrava juventude,
tão acolhedoramente,
sem aviso prévio, secou.

O relógio exibiu ponteiros cortantes,
causando um riso desesperador,
pesando no punho.
E no papel de carta colorido de antes,
a vida fez da biografia
nada, além de rascunho...

 

 

 

 

 

Domingo, 06 Junho 2021 22:50

Cisma

 

 

 

Às vezes eu cismo...
Acredito na falsa realidade
ou na verdade do lirismo?
É, às vezes eu cismo...

 

 

Quarta, 26 Mai 2021 22:35

Sensíveis Em Mim

 




Agora que o silêncio toca aquele ponto de dor,
ao lado direito do coração,
se outrora tivesse sido massageado
por palavras de atenção, sei que não era hoje ferida...

E agora, louca, posso cobrar-te amor,
posso dizer que sou tua, sem medo,
e no elucidar de tanto segredo,
a jura talvez seja cumprida...

Se, lá no ponto sensível do céu,
há um labirinto de luzes e cores...
quando foi que de teus lábios nasceram flores?


 

 

Quarta, 19 Mai 2021 20:43

Negócios de Amor

 

 

E procurei em tudo algum indício,
algum recado, um bilhete qualquer,
um pequeno toque, como no início,
desafiando minha intuiÇao de mulher.

Investiguei desde a maior até a menor pista,
fui atenta e alerta ao menor resquício
pra ser alguém a mais, além de um nome na lista,
mas descobri-me apenas um vício.

Dobrei-me àquela conquista,
de um amor à prazo,
em pequenas parcelas,
pagando o preço à vista...

Frete gratuito, mega promoção,
queima de estoque, loucura total,
estratégia de marketing...liquidação.

E comprei horas de solidão...

 

 

Página 1 de 3